> CASAPONTOCOME: Madrid - Conhecer muito, gastando pouco

domingo, 16 de julho de 2017

Madrid - Conhecer muito, gastando pouco

Madrid não é aquela cidade tipicamente turística, mas é uma cidade cheia de vida, tem uma oferta cultural incrível e vale muito a pena conhecer.
Apesar de ser a capital espanhola, não é uma cidade cara para visitar, como, por exemplo, Barcelona. Tem imensa oferta de todo o tipo de serviços e talvez por isso, com alguns cuidados, consegue-se evitar gastar muito dinheiro. Como? Passo a explicar.
 


O voo  
Sendo que as operadoras low-cost voam para lá, reservando o voo com alguma antecedência, os preços podem ser incríveis! Numa das minhas viagens a Madrid paguei cerca de 40 euros (ida E volta). A única coisa má é que o voo de ida, pelo menos a partir do Porto, sai às 06h30 da madrugada. Isto que é mau porque se dorme pouco nessa noite, mas tem a vantagem de aterrar em Madrid cedinho e poder aproveitar melhor o primeiro dia. (pelo menos enquanto o sono não atacar…).
Plaza Mayor - Madrid
Circular dentro da cidade
O metro de Madrid é antigo mas surpreendentemente limpo, muito eficiente e intuitivo. Para sair (e voltar) do aeroporto, cobram um suplemento de cerca de 5 euros, mas fora isso os trajectos são baratinhos, com preços equivalentes aos do metro do Porto. É uma maneira prática, rápida e barata de se movimentar em Madrid, mas subterrânea.
Uma alternativa são os famosos autocarros hop on / hop off. Assim conhecem-se os pontos mais importantes da cidade, aprende-se bastante sobre cada zona e monumento graças ao áudio-guia e vê-se o dia-a-dia da cidade. É uma viagem confortável e descansada, mas fica mais cara.
É uma questão de escolher a melhor opção para o que se quer fazer e quanto tempo se tem para visitar a cidade.   

Alojamento
A oferta é imensa e para todos os gostos. A opção que tomámos nesta viagem foi perfeita para aproveitar ao máximo, gastando pouco, tanto em dinheiro, como em pernas: alugámos um estúdio, mesmo no centro de tudo o que queríamos visitar. Ficámos ao lado da Gran Via e pagámos 50€ por noite. Todas aquelas pequenas refeições (pequeno almoço, um snack antes de sair para jantar, etc) que podem ficar caras em Espanha, fizemos “em casa”, com tempo e sem filas nem confusões. Para além disso, a qualquer hora do dia, era fácil ir a casa trocar de roupa ou tomar um duche e descansar. Jantámos sempre fora e os preços são mais baixos do que estava a espera para a capital: há menus completos por 10/12€ por pessoa.  

Os museus
Uma das coisas que queria mesmo fazer nesta viagem era ver o famoso quadro Guernica. Consegui e não paguei NADA por isso. Esta obra de Picasso está no Museu Reina Sofia e é tão majestosa e avassaladora que me atrevo a dizer que vale a pena ir a Madrid só para ver este quadro.     
O que não sabia, é que este museu e o Museu do Prado têm horários de acesso totalmente gratuito! Nós fomos ao Reina Sofia numa segunda-feira, em que o horário gratuito é das 19h às 21h. Forma-se naturalmente uma fila nessas horas, mas nem esperámos 15 minutos para entrar. Para mim, que sou fã de Picasso e de Dalí, este tempo foi suficiente para ver tudo o que queria e ficar sem palavras à frente do Guernica. O museu é muito grande e para os verdadeiros aficionados de arte, talvez duas horas não sejam suficientes para ver tudo com calma… Mas fica a dica e achei fantástico este conceito de deixar a arte acessível a todos.
Assim sendo, visitámos também o Museu do Prado, ainda maior que este e muito interessante também. O Museu Reina Sofia encerra às terças-feiras e o Museu do Prado está aberto todos os dias.      
Parque do Retiro - Madrid
 Uma cidade interessante e ideal para conhecer em poucos dias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Procurar, aqui na casa