> CASAPONTOCOME: Porque não quero uma Bimby?

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Porque não quero uma Bimby?

Anda agora por aí uma febre de fãs de Bimbys. Auto-intitulam-se bimbólicas e dizem já não saber viver sem essa maquineta. 
Nada contra. 
A minha filosofia de vida, para imensas coisas é: quem gosta vai/vê/tem/faz, quem não gosta, não. Ponto final.
Adoro cozinhar, desde que me lembro. E quando digo cozinhar é mesmo sujar as mãos, sentir os cheiros, testar novas conjugações de sabores, umas vezes acertar e outras não. Poder destapar uma panela e enfiar-lhe o nariz e uma colher. Envolver o que lá está dentro… provar e saborear em busca do que falta e em que quantidades… Desvendar maneiras de melhorar texturas e aromas… é uma delícia. Relaxa-me, faz-me sentir bem e o resultado final é apenas uma pequena parte do processo. O tempo que passo na cozinha à volta de tachos, panelas, colheres de pau e ingredientes diversos, é tempo feliz.

A ideia de um objecto opaco, fechado, onde se dispõem ingredientes contados à grama e ao mililitro, onde se espera um tempo definido até poder espreitar o que lá se passou, não me atrai nadinha. E o ter de lavar peças e pecinhas entre cada adição? Certamente tentador para quem goste de lavar loiça, não é o meu caso.

Por outro lado, já cozinho para nós, há mais de 10 anos, o que significa que tenho um conjunto de acessórios que se tornariam dispensáveis com a aquisição dessa tal de Bimby. E 10 anos de tralhinhas de cozinha é muita coisa, meus amigos!

15 comentários:

  1. pois eu para além da bimby, também não tenho microondas (nem nunca senti falta) nem fritadeira elétrica. também já me apercebi dessa moda, mas tal como tu, acho do melhor poder cheirar, provar e ajustar. a bimby também não é para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehe Eu só tenho microondas desde 2009, por grande insistência da minha mãe, senão, também não tinha e a fritadeira eléctrica, "herdámos" uma que felizmente se avariou (suspeito que por falta de uso).
      Já me sinto menos extra-terrestre!

      Eliminar
    2. nem posso acreditar!!! isto há cada coincidência... também não tenho a fritadeira precisamente porque esteve guardada para o enxoval e quando alguém me pediu para a usar (sim, porque eu tinha-a bem escondida), simplesmente não funcionou. quase que dei pulos de alegria, mas apenas interiormente para não ferir os sentimentos dos presentes.

      Maria Radiante

      Eliminar
    3. Hehe Foi intervenção divina para não andarmos a comer fritos em excesso! :D

      Eliminar
  2. É bom ouvir pessoas com a mesma opinião porque eu já me estava a sentir alien xD

    Sou bastante novinha (24) mas cozinho quase desde que me lembro (10-11anos comecei a preparar o estrugido para adiantar o almoço quando o meu pai vinha para casa, para que assim, tivesse mais tempo para comer).
    Cozinhar mesmo "a serio" terei começado aos 12/13 anos e desde então que adoro a cozinha e os seus sabores.
    Faço quase tudo "a olho", por instinto e por aroma. Há dias em que a comida é intragável, noutras prefiro-a à de muitos restaurantes.

    Atualmente fico maravilhada pois o meu filho com os seus 3 anitos já se acha um valentão e quer-me ajudar e lá vem ele quando a mãe está a bater ovos e eu passo-lhe tudo para a mão e sabe-me pela vida e noto que a ele também lhe sabe bem (por motivos óbvios não o deixo aproximar de nada quente).

    Talvez o bichinho seja de família: eu aprendi com o meu pai os pratos "salgados"/refeições e com a minha mãe a parte da pastelaria.
    O meu marido também cozinha e agora ver o nosso piolho a "apanhar-lhe" o gosto e o jeito é, para mim, maravilhoso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que linda história! Quando tiver filhos sei que vamos passar bons momentos na cozinha. Em pequena, das memórias mais docinhas que tenho, era quando a minha mãe me deixava brincar com um resto de massa de azevias! Eu fingia que fazia bolinhos, pãezinhos... Ou quando me deixava quebrar as bolachas numa taça, para fazermos salame de chocolate! Da cozinha só podem sair memórias doces!

      Eliminar
  3. Sabes que não me consigo decidir por nada deste mundo!

    Adoro cozinhar e é como tu, gosto de sujar as mãos, sentir os cheiros. experimentar coisas novas....

    Mas que a máquina ia-me fazer poupar em montes de electrodomésticos lá isso ia...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ainda não tens muita coisa de cozinha, parece-me boa ideia, seria como comprar um bom robô de cozinha! Dá para fazer imensas coisas. Bjinhos

      Eliminar
  4. Maria João Martinez30 de agosto de 2012 às 23:22


    Eu por mim também não tenho interesse nessa nova máquina. Gosto mais dos tachos, mexer e ver o que está a acontecer lá dentro.
    Claro que há alguns utensílis de cozinha que são bastante úteis, mas a bimbi parece-me um utensílio perfeitamente dispensável.
    Mas o que mais gostei deste artigo foi do comentário da minha querida nora Cláudia, que diz, "quando tiver filhos, sei que vamos passar bons momentos na cozinha". Beijos espero que isso aconteça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Finalmente, mas muito de vez em quando, é ideia que me passa pela cabeça... hihi Beijinho

      Eliminar
    2. Ó minha querida sobrinha, acho que deves passar a ideia da cabeça para a barriga ;-)) Bjs

      Eliminar
    3. :) Calma, muita calma.... Ainda agora me surgiu esta ideia! Ainda faltam umas coisitas, mas o pior era a ideia e essa anda no ar! Beijos (a não sei que tio/tia...)

      Eliminar
  5. Já agora..ainda usa o tanque ou já comprou uma máquina de lavar roupa?
    A bimby veio revolucionar a cozinha, e quem tem jeito para cozinhar continua a ter na mesma com a máquina. Cada vez mais atafulhamos utensilios nos armarios quando podiamos ter um unico em cima da bancada e sempre a uso.
    "viva o progresso"

    ResponderEliminar
  6. Concordo plenamente com a evolução e o progresso em todos os níveis, inclusivamente com a liberdade de expressão e de opiniões. O que se passa, no meu caso concreto, é que todos os meus utensílios de cozinha são utilizados, e muito! Assim, a aquisição de mais este aparelho, seria, por um lado, supérflua, e por outro retirar-me-ia muito do prazer que retiro do processo de cozinhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venho meter o "bedelho".

      Maria Mendes eu gosto do progresso e não sou tradicionalista a nível fanático mas, a mim, cozinhar dá-me prazer. O processo de estar a elaborar o que vou jantar é, para mim, a minha terapia, um dos meus hobbies. É um gosto.

      Talvez em momentos mais atribulados me pudesse dar jeito mas para esses eu já tenho uma panela de pressão que me remeia sempre que necessário :)

      Talvez para quem tenha falta de utensílios em casa, pouco tempo, etc possa realmente tomar partido das maquinas tipo bimby mas estas maquinas têm também a grande desvantagem de serem extremamente caras.
      Duvido que somando todos os meus utensílios eles me tenham custado tanto quanto custa uma bimby e eu cozinho imenso quer salgados, quer doces.

      Ainda se a bimby subsituisse tudo mas não o faz... é
      incompleta e obriga ainda a outro tipo de gastos - a menos que as pessoas vivam bem, por exemplo, sem grelhados - mas obriga as pessoas a comprar livros para as ensinar e obriga a seguir tempos rígidos e velocidades certas - o que mim é um "no go" em termos de cozinha pois perde-se o "feeling" a "alma" do cozinhar (é o que eu sinto).

      Tem inumeras vantagens, dá para cozinhar imensas coisas sem que as pessoas tenham que estar a provar, a observar o processo (que é precisamente a minha parte terapêutica) e, se já cozinhou numa panela de ferro, sabe concerteza que não há tacho de zinco, indução, ceramica, etc que lhe chegue ao sabor..(nem bimby) assim como os assados em forno de lenha. Há coisas que necessitam do seu espaço e tempo para terem sabor.

      No entanto, para quem realmente não sabe cozinhar, tem pouco tempo e dinheiro suficiente à mão para gastar esteja à vontade. Mas não é por nem todos o fazerem que não estão a evoluir - todos temos a nossa opinião e nem todos gostamos do mesmo e isso também devia respeitar

      Eliminar

Procurar, aqui na casa