> CASAPONTOCOME: 3 coisas parvas

terça-feira, 8 de maio de 2012

3 coisas parvas



Há termos e expressões que são tidos como sendo sinal de educação e de respeito pelos outros, mas que a mim nunca me fizeram muito sentido.  Passo a exemplificar, com três casos muito frequentes:

Coisa parva nº 1 - Pedir “com licença” antes de rasgar papel
Esta nunca me entrou na cabeça. Tinha uma colega que fazia sempre esta introdução, antes de rasgar fosse o que fosse, à minha frente, e eu perguntava-lhe, no gozo “Com licença porquê? Vais arrotar?”
Será por se pensar que o barulho pode incomodar? Então todos os meus professores que escreviam em quadro de lousa, fazendo aquele barulho-tipo-silvo, irritante, com o giz, deveriam ter passado a vida a pedir “com licença” porque isso é que são barulhos que me incomodam.
Será por questões ambientais? Para não ferir os sentimentos de quem ouve as fibras a romperem? Mas assim, só devia pedir licença quem a seguir não encaminhasse os pedaços de papel rasgado para a reciclagem, e mesmo assim não devia ter desculpa.

Coisa parva nº 2 - Dizer “Não é para me gabar”, antes de se gabar
Esta é boa! Antes de certas pessoas se gabarem sobre uma infinidade de coisas possíveis, iniciam a frase com o belo “Não é para me gabar, mas”.  
Exemplos frequentes: “Não é para me gabar, mas cozinho muito bem”; “Não é para me gabar, mas não canto nada mal”; “Não é para me gabar, mas sou um espectáculo”…
É para se gabarem, sim senhor! Mais valia pôr aqui o “Com licença”! Fazia mais sentido. “Com licença que me vou agora gabar deste meu dom:” E pronto, os ouvintes já ficavam preparados.

Coisa parva nº 3 - Pedir “com licença” DEPOIS de arrotar
Ora isto não faz sentido nenhum! A pessoa, por mais distraída, ou internamente gasosa, que seja sabe sempre quando um pequeno (ou grande) arrotito se aproxima, logo deveria pedir licença aos que o rodeiam ANTES de o soltar e não depois! Com licença que já arrotei? Não faz sentido. Ainda há pessoas que depois pedem o tal perdão, o que chega a ser um exagero, um simples pedido de desculpas já era suficiente, mas pelo menos está melhor enquadrado no contexto arrotivo, do que pedir licença depois de uma coisa já ter acontecido. Tudo bem que os ouvintes mais próximos poderiam não dar licença ou não terem tempo para decidir, mas ficava melhor, ainda assim.

6 comentários:

  1. Faz todo o sentido professora :)
    tem toda a razão

    ResponderEliminar
  2. :) Vamos revolucionar os "com licenças"! lol Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Ufa !!! O que eu suei...Bem dizias tu para não desistir.Mas antes de "Publicar" tive de fazer "login" e responder a algumas perguntas.Já nem sei como fiz.Por cima de "Publicar",em "Comentar como" tem de aparecer o nosso nome. Agora sim,já me sinto como "sócio" deste blog.Obrigado !! Bjs..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem vindo! Agora é comentar à vontade! :) Beijinho

      Eliminar

Procurar, aqui na casa