> CASAPONTOCOME: Obrigada, mãe.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Obrigada, mãe.


O telefone toca. É a minha mãe. Atendo sem mover qualquer músculo facial para lá dos absolutamente necessários. As minhas respostas monossilábicas despertam a atenção maternal que, afinal, ainda é afinada.
[Não, não estou bem. Há uns dias que ando com um humor canino e o cérebro meio dormente. O dia cinzento em plena Primavera não ajuda muito. Queria só ver o futuro e não sei como, é pena. Só para saber em que direcção devo nadar, só isso, porque parar de nadar e de me manter à tona não faz parte dos meus planos.]

Não digo nada disto, claro, e a conversa prossegue. Aos poucos, é como se fosse sendo repescada para a vida. Vou começando a fazer o jantar… Vou sorrindo ao perceber que muito do meu humor tem raízes muito claras… Vou rindo com histórias de pessoas e sítios que já nem recordo bem.
Quando desligo sinto-me leve. Quando se pensa que as mães já não podem fazer muito por nós depois de crescidos, ainda por cima à distância e ainda por cima ao telefone, eis que um telefonema nos mostra o quanto nos podemos enganar!
Obrigada mãe.  

2 comentários:

  1. Obrigado FILHA,o meu desconfiometro passou o fim de semana ligado e em sobressalto,esperando a 2ª feira para não imterromper o "namoro" no fim de semana,sinto a revolta que milhares de mães devem sentir nestes tempos.Em qualquer repartição hà incompetentes que não sabem doseu serviço que nos dão informações erradas e teem o seu ordenado no fim do mês.Outros milhares ficam no desemprego injustamente quando até já deram provas do seu valor,precisa-mos de uma peneira gigante para agitar e deixar cair o lixo ficando só o grão melhor, vamos agitar isto mães deste país!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu vou encontrar o meu caminho e, se não o encontrar, construo-o eu. Sou forte. Sou filha da minha mãe. :)

      Eliminar

Procurar, aqui na casa